• Azy Barak e colegas da Universidade de Haifa (2008b) produziram a primeira meta-análise da eficácia na área da psicoterapia/psicologia online. A meta-análise é um método sistemático que integra e acede a resultados de diferentes estudos numa área em particular. Apenas os estudos que tenham critérios rigorosos de métodos de investigação foram incluídos e os seus resultados são combinados estatisticamente para poder-se retirar conclusões poderosas que isoladamente não teriam. Barak e seus colegas reviram 92 estudos em que examinaram intervenções psicoterapêuticas pela Internet  envolvendo 9.764 clientes. Estes clientes representam uma gama completa de grupo de clientes em termos de idade, género, raça e idioma. Os autores concluíram que “A terapia pela Internet em média é eficaz ou tanto eficaz que a terapia cara-a-cara” (pág. 147). (http://construct.haifa.ac.il/~azy/B401-MetaAnalysisInterventionsBarak.pdf)
  • O artigo “Client Satisfaction and Outcome Comparisons of Online and Face-to-Face Counseling Methods”  por Murphy e Parnass, et al. (2009) pelo British Journal of Social Work, demonstrou que não encontraram diferenças significativas nos resultados GAF, entre avaliação e finalização dos que receberam terapia presencial dos que receberam terapia online. GAF é uma escala que mede subjectivamente o funcionamento social, ocupacional e psicológico de adultos, ou seja, o quão bem ou adaptado um está atendendo os problemas do dia-a-dia.
  • Entrevistas psiquiátricas conduzidas por telepsiquiatria são na sua generalidade de confiança, pacientes e clínicos geralmente reportam altos níveis de satisfação com esta modalidade (Freuh, 2000).
  • Não houve diferença significativa entre psicologia/psicoterapia online e psicoterapia presencial no pedido de entrevistas de controlo no que diz respeito ao diagnóstico, idade e sexo do paciente (Dongier, 1986).
  • Intervenções presenciais podem ser adaptadas com sucesso para a Internet a famílias que tenham experiência com computadores. Resultados encontrados por Wade et al. (2006) sugerem que as intervenções por computador podem ser bem sucedidas para melhorar os resultados de crianças com traumatismo craniano. Tanto o site como o video-conferência foram avaliados como muito úteis. Todas as famílias demonstraram melhorias numa ou mais estratégias comportamentais, incluindo o aumento da compreensão da lesão e um melhor relacionamento pai-filho. Todos os pais e filhos (excepto uma criança) recomendariam o programa a outras pessoas.

 

Referências:

  • Barak, A., Hen, L., Meyran, B. & Na’ama, S. (2008). “A comprehensive review and meta-analysis of effectiveness of Internet-Based Psychotherapeutic Interventions.” Journal of Technology in Human Services, Vol. 26 (2/4), 109-160.
  • Dongier, M.; Templer, R., Lalinec-Micahud, M., Meuneir, D. (1986). “Telepsychiatry. Psychiatric consultation through two-way television: A controlled study.” Canadian Journal of Psychiatry 31:32-34.
  • Freuh BC, Deitsh SE, Santos AB, et al. (2000). “Procedural and methodological issues in telepsychiatry research and program development.” Psychiatric Services, 51:1522-1527.
  • Murphy, L. M., Parnass, P., Hallett. R H., & Mitchell, D. L. (in press). “Client satisfaction and outcome comparisons of online and in-person counselling methods”. British Journal of Social Work, 39, 627-640.
  • Wade, Shari L.; Carey, Joanne; Wolfe, Christopher R. (2006). “An online family intervention to reduce parental distress following pediatric brain injury.” Journal of Consulting and Clinical Psychology, Vol. 74(3).
 

Comments are closed.

Set your Twitter account name in your settings to use the TwitterBar Section.