Os eventos traumáticos acontecem de forma inesperada, repentina e avassaladora. Em alguns casos não há sinais visíveis de danos físicos mas existe um sério envolvimento emocional. É comum as pessoas que sofreram situações traumáticas terem fortes reacções emocionais. Compreender as respostas normais em eventos anormais pode ajudar a lidar eficazmente com os seus sentimentos, pensamentos e comportamentos, e ajudá-lo(a) ao longo da recuperação.

 

O que acontece com as pessoas após um evento traumático?

 

Choque e negação são respostas típicas a eventos traumáticos e desastres, especialmente após a ocorrência. E ambas são reacções normais de defesa e protecção. O choque é uma perturbação do nosso estado emocional que aparece subitamente e é extremamente intensa. A negação é não reconhecermos que algo de muito stressante aconteceu, ou não sentirmos plenamente a intensidade do acontecimento. Nestas circunstâncias pode-se sentir uma dormência e desconexão com a vida. Com o desaparecimento do choque inicial, as reacções podem variar de pessoa para pessoa.

 

Respostas normais a um acontecimento traumático:

 

  • Emoções intensas e por vezes imprevisíveis. Irritação e mudanças de humor drásticas. Poderá desenvolver um quadro ansioso ou até depressivo.

 

  • Os pensamentos e comportamentos habituais poderão ser afectados pelo trauma e pelas lembranças vividas do evento. Estas lembranças (flashbacks) podem ocorrer sem razão aparente e podem manifestar-se também fisicamente através de taquicardia ou transpiração excessiva. A concentração e tomada de decisão podem estar afectadas como também os padrões de sono e alimentação.

 

  • Reacções emocionais recorrentes são normais. Aniversários do evento, tais como o primeiro mês ou o primeiro ano, podem desencadear lembranças perturbadoras da experiência traumática. Estes “gatilhos” podem ser acompanhadas de medo que o evento traumático se repita.

 

  • As relações com os outros muitas vezes tornam-se tensas. Conflitos e discussões são frequentes e comuns entre familiares e colegas de trabalho. Por outro lado a pessoa afectada pode retirar-se e isolar-se, evitando as suas actividades habituais.

 

  • O stress extremo pode originar sintomas físicos. Por exemplo: dores de cabeça, no peito e náuseas que podem exigir atenção médica. Pré-condições médicas podem piorar devido ao stress.

 

Como as pessoas respondem ao longo do tempo?

 

É importante perceber que não existe uma reacção típica a uma experiência traumática. Algumas pessoas respondem imediatamente enquanto que outras podem ter reacções tardias – às vezes meses ou até anos. Alguns sentem efeitos adversos por um longo período de tempo enquanto que outros recuperam rapidamente. E as reacções podem mudar ao longo do tempo. Algumas pessoas sentem mais energia anímica na altura do desastre que os ajuda a gerir o momento para depois entrar num estado de desânimo ou depressivo.

 

Um número de factores tendem a afectar o período de tempo necessário para a recuperação, incluindo:

 

  • O grau de intensidade e de perda. Acontecimentos de longa duração, ameaçadores e onde a perda de vida ou perda substancial de bem material está envolvida, muitas vezes demoram mais tempo a resolver.

 

  • A capacidade para lidar com situações emocionalmente exigentes. As pessoas que já passaram por situações stressantes podem lidar melhor com o trauma.

 

  • Outros eventos stressantes que precedem à experiência traumática. Pessoas confrontadas com outras situações emocionalmente difíceis, como problema de saúde grave ou problemas familiares, poderão ter reacções mais intensas e irão precisar de mais tempo para recuperar.

 

Como ajudar a sua família e a si próprio?

 

Existem uma série de passos que podem ajudar a restaurar o bem-estar emocional e um sentido de controlo após uma experiência traumática, incluindo o seguinte:

 

  • Tempo para adaptar-se.Prevê-se que este será um momento difícil na vida. Permita-se lamentar as perdas que sofreu e tente ser paciente com as suas mudanças emocionais.

 

  • Peça apoio às pessoas que preocupam-se consigo, dispostas a ouvir e a empatizar com a situação.Mas tenha em mente que o seu sistema de apoio habitual possa mudar se aqueles que estão junto de si também passaram pela mesma experiência traumática.

 

  • Fale da sua experiência, da maneira que se sentir mais confortável – falar com a família, amigos ou até escrever um diário.

 

  • Saiba mais sobre grupos de apoio locais ou pela Internet. Estes podem ser úteis para pessoas com pouco suporte social.

 

  • Tente encontrar grupos liderados por profissionais devidamente qualificados. A discussão em grupo pode ajudar a perceber que outras pessoas já passaram pelo mesmo e muitas vezes têm reacções e emoções semelhantes.

 

  • Adopte comportamentos saudáveis para melhorar a sua capacidade para lidar com stress excessivo. Tenha uma alimentação equilibrada e descanse bastante. Se tiver problemas em adormecer experimente técnicas de relaxamento. Evite álcool e/ou drogas.

 

  • Restabeleça rotinascomo comer as refeições em horários regulares e seguir uma prática de exercício físico. Ter tempo para si, sem sentir as exigências da vida, como algum passatempo ou outras actividades agradáveis.

 

  • Evite tomar decisões importantes para a sua vida,como a mudança de carreira ou de emprego. Este tipo de mudança pode ser muito stressante.

 

Quando deve procurar ajuda?

Algumas pessoas são capazes de lidar eficazmente com as exigências físicas e emocionais provocadas por eventos traumáticos, utilizando os seus sistemas de apoio. Porém é comum descobrir que problemas graves persistem e continuam a interferir com a vida diária. Por exemplo: ansiedade elevada ou tristeza prolongada que afecta negativamente o desempenho no trabalho e nas relações interpessoais.

Se tiver reacções prolongadas deverá procurar um profissional de saúde mental. Psicólogos e outros profissionais podem ajudá-lo(a) com as respostas normais ao stress excessivo e a encontrar formas construtivas para lidar com o impacto emocional.

No caso das crianças: explosões emocionais persistentes e agressivas, problemas sérios na escola, preocupação com o acontecimento traumático, isolamento extremo e outros sinais de ansiedade extrema e contínua apontam para a necessidade de ajuda profissional. Um profissional de saúde mental qualificado pode ajudar crianças e pais a compreender e lidar com esses pensamentos, sentimentos e comportamentos que resultaram do trauma.

 

Comments are closed.

Set your Twitter account name in your settings to use the TwitterBar Section.