don__t_worry_by_sarahanonymous-d57cwlyQuando estamos sobre pressão é  normal sentirmos tensos, sob stress e preocupados. 2 em cada 5 pessoas afirmam que sentem-se preocupadas pelo menos uma vez por dia. Para algumas pessoas estes sentimentos persistem até que interferem com o normal funcionamento do dia-a-dia. Se isto é familiar para si esta informação pode ser uma ajuda para compreender o que é a ansiedade (generalizada) e a sua relevância para si.

O que é preocupar?

Antes de compreender o que é a ansiedade é importante compreender o fenómeno de preocupação, ou seja, o que é preocupar? A preocupação é geralmente considerada como uma forma de resolver um problema mental e verbal provenientes de eventos potencialmente negativos. Pode ser desencadeada por vários eventos externos ou de pensamentos que aparecem na nossa cabeça. A preocupação é caracterizada pelos famosos “E se?” como por exemplo:

“E se eu falhar no exame?”

“E se eu não conseguir o emprego?”

“E se eu não conseguir sustentar a minha família?”

“E se eu ficar ansioso(a) durante a entrevista?”

A preocupação normal é  de curta duração e leva à resolução de problemas de forma positiva. Começa a tornar-se inútil quando reúne uma série de situações, quando é muito frequente ou difícil de controlar. As pessoas podem pensar que este tipo de preocupação é útil, que ajuda a planear e resolver problemas ou a prevenir resultados negativos. No entanto, este não é o caso, a preocupação prolongada e frequente pode causar mais ansiedade e mais preocupação, o que pode impedir comportamentos e pensamentos positivos.

Quais são os sintomas?

  • Ansiedade ou preocupação sobre problemas/situações que duram há pelo menos 6 meses;
  • Quando é vivida como excessiva, incontrolável, presente em quase todos os dias e interfere com a capacidade de concentrar nas tarefas diárias.

Pelo menos 3 dos seguintes sintomas presentes pelo menos 6 meses ou mais.

  • Sentir-se inquieto, tenso, no limite e incapaz de relaxar,
  • Tensão física,
  • Distúrbios do sono, problemas em adormecer, manter o sono ou sono inquieto,
  • Problemas de concentração e focar numa tarefa,
  • Sentir-se irritado,
  • Sentir-se cansado ou exausto(a) facilmente.

Quais são as causas?

Não se sabe ao certo quais as causas para a ansiedade generalizada. Porém, um certo número de fragilidades podem aumentar a probabilidade de desenvolver ansiedade:

  1. Disposição hereditária para ter emoções negativas,
  2. Stress prolongado, experiências passadas incontroláveis ou eventos traumáticos,
  3. Mensagens directas ou indirectas das pessoas que estão ao nosso redor de que o mundo é ameaçador ou que preocupar é útil,
  4. Estilo de coping (como lidamos com as situações) que envolve desafios ou situações onde existe uma possibilidade de experimentar emoções negativas.

Diagnóstico e tratamento 

A ansiedade generalizada nem sempre é fácil de diagnosticar porque alguns dos seus sintomas sobrepõem-se com os da depressão e outros problemas de ansiedade. Assim, é importante consultar um especialista em saúde mental para obter um diagnóstico definitivo.

Um dos tratamentos recomendados é a terapia cognitiva-comportamental que normalmente inclui: relaxamento para reduzir tensão crónica, técnicas para lidar com crenças sobre a preocupação, aprender estratégias de resolução de problemas e como lidar com a ansiedade, aprender a estar menos focado nas incertezas e estar focado no presente momento.

Treino de mindfulness e meditação podem ajudar a reduzir preocupações e aumentar o foco no presente momento.

 

 

 

 

 

Comments are closed.

Set your Twitter account name in your settings to use the TwitterBar Section.